Um dos maiores desafios da Philip Martin’s é colorir os cabelos com produtos orgânicos sem prejudicar a saúde dos fios. Mas para entender esse conceito sem química utilizado pela marca é preciso conhecer as camadas dos fios e como eles se comportam quando o assunto é coloração.

O blog Philip Martin’s conversou com as profissionais do salão, Barbara Evelyn e Papy Leandra, de Curitiba, para entendermos os fios e como os produtos orgânicos respeitam a saúde dos cabelos e fazem a diferença.

Os fios são formados por quatro partes: cutícula, córtex, cimento intercelular e medula, que precisam manter o máximo do pH natural para continuar saudável e com brilho.

“Quando coloridos quimicamente, sofrem uma agressão com a amônia e oxidantes com concentrações altas (20,30 e 40 volumes), isso faz com que a cutícula enfraqueça e o córtex seja permeável pela cor até que se revele e se torne permanente”, explica Papy Leandra.

 

Quando coloridos com produtos orgânicos que são zero toxicidade, não possuem os agressores da cutícula, responsáveis pela saúde e brilho, tão pouco do córtex, maior parte do fio.

“O córtex precisa de proteínas para se manter saudável assim como a medula que os sustenta. A Philip Martin’s conseguiu aliar alimentos, óleos essenciais e plantas, que promovem a cor permanente, sem agressão, com 100% de cobertura dos fios e ainda deixando-os emolientes e brilhantes”, explica Papy.

 

 

A cor natural do cabelo é definido basicamente pela quantidade de melanina e eumelanina, que são os fios pretos e castanhos, ou feumelanina, os loiros e ruivos.

A alteração da naturalidade tem sido recorrer a uma série de reações químicas para mudar a cor dos fios. Sem saber ou não se importar com a saúde dos cabelos muitas pessoas recorrem a procedimentos perigosos.

A absorção dos pigmentos químicos contém uma concentração de corantes a base de sais metálicos, chumbo e amônia, que fazem com que os fios fiquem enrijecidos, quebradiços e fracos com uso excessivo e progressivo.

O excesso químico causa a temida quebra química e irritações no couro cabeludo, explica Barbara Evelyn. “Nas colorações orgânicas são utilizados componentes a base de folhas, plantas, óleos essenciais, como água de côco, milho, laranja, amarga, aloe vera, óleo de babassu, que ajudam na hidratação e  nutrição dos fios. Que eliminam esse desconforto da química”, diz.

 

“A coloração age sem agredir o couro cabeludo e nem os fios, com o uso de nossos produtos o pH do cabelo conserva-se equilibrado e sem oxidantes, a cor permanente e intacta sendo necessário o retoque apenas no crescimento do fio, concluem as profissionais.

– A cutícula é a camada mais externa da fibra capilar onde tem a função é proteger o córtex e criando uma barreira para produtos químicos, água da piscina, cloro, chuva, sol e  poluição. Também é responsável pelo brilho e maciez.

– O cimento intercelular, garante a coesão das escamas e do córtex, contribuindo para sua solidez, característica de uma fibra natural.

– O córtex e a região mais importante dos fios e responsável por definir a forma, a cor, a resistência, a elasticidade e a quantidade de umidade natural dos fios e também sua força. O córtex e uma camada mais interna da fibra do que a cutícula, os seus danos costumam ser mais graves deixando os cabelos mais frágeis.

– A medula é a parte mais interna do fio, é a única parte da fibra capilar que está em contato com bulbo capilar e só é encontrada nos fios mais grossos ou brancos, ou seja ela é responsável por distribuir minerais e nutrientes até as pontas , o que permite que as células que são criados no bulbo fazem com que os cabelos cresçam.